sábado, 26 de junho de 2010

Aneurisma Cerebral



Bom, pessoal!

Aqui estou eu, pra falar um pouco dessa doença que é o aneurisma cerebral. O que eu particularmente denomino de tiro no cérebro, pois assim como um tiro, o aneurisma pode deixar a pessoa bem, dependendo do que acontecer, matar na hora, ou deixar sequelas significantes no paciente.

Fiz uma pesquisa na internet pra poder falar um pouco, dessa doença ainda tão desconhecida para muitos. Tive como base o site: http://www.aneurismacerebral.com/

O que é um Aneurisma Cerebral?

Um aneurisma cerebral, é uma protuberância anormal de um artéria no cérebro. É estimado que até uma em cada 15 pessoas desenvolva um aneurisma cerebral durante a sua vida.

O aneurisma cerebral muitas vezes é descoberto quando eles rompem (como no meu caso), causando sangramento no cérebro ou no espaço que estreitamente rodeia o cérebro, chamado espaço subaracnóide, causando uma hemorragia subaracnóidea. A hemorragia subaracnóidea de um aneurisma cerebral rôto pode levar a um AVC hemorrágico severo, dano cerebral e morte.

Os passos principais do tratamento uma vez que um aneurisma rompeu devem ser: cessar a hemorragia e dano potencial ao cérebro e reduzir o risco da repetição, isto é, de um re-sangramento. O aneurisma cerebral não roto muitas vezes é tratado para prevenir a ruptura.

Sintomas dos aneurismas cerebrais

Em geral os pacientes que descrevem "a pior dor de cabeça na minha vida" estão experimentando de fato uma ruptura de aneurisma. Outros sintomas de aneurismas cerebrais que romperam incluem:

• Náuseas e vômitos
• Dor na nuca e rigidez no pescoço
• Visão manchada ou visão dupla
• Dor em cima e atrás do olho
• Pupilas dilatadas
• Sensibilidade para luz

Sintomas Aneurismas Cerebrais não rotos

Antes de um aneurisma romper, os pacientes na maioria das vezes não experimentam nenhum sintoma. Numa minoria de casos, pessoas portadoras de aneurismas cerebrais descobertos por acaso poderão ter alguns dos seguintes sintomas:

• Déficits de visão periféricos
• Visão dupla
• Dificuldades de fala
• Modificações súbitas de comportamento
• Perda de equilíbrio e coordenação
• Concentração reduzida

Diagnóstico de Aneurismas Cerebrais

O diagnóstico de um aneurisma cerebral que rompeu é comumente feito encontrando os sinais da hemorragia subaracnóidea em um exame de TC (Tomografia computadorizada), após um episódio de dor de cabeça de forte

A TC é um exame capaz de visualizar fatias transversais do nosso corpo, a medida que ele é movido para dentro de um grande túnel, circular no interior da máquina. Se o exame de TC for negativo mas ainda há a forte suspeita de um aneurisma roto, uma punção lombar é feita para descobrir se há sangue no fluido cerebroraquidiano (LCR) que rodeia a corda cerebral e espinal.
Para determinar a posição exata, o tamanho e a forma de um aneurisma (roto ou não roto), o neuroradiologista usará angiografia cerebral (também chamada de arteriografia cerebral ou angiografia por catéter) , angiotomografia computadorizada ou angioressonância magnética.

A Angiografia cerebral, método tradicional, implica a introdução de um catéter (pequeno tubo plástico) em uma artéria (normalmente na perna) e direção dele pelos vasos sanguíneos do corpo à artéria implicada pelo aneurisma. Uma tintura especial, chamada de meio de contraste (à base de iodo) é injetada na artéria do paciente e a sua distribuição é mostrada em projeções de raio x digitalizados. Este método é mais sensível para detecção dos menores aneurismas, que podem passar despercebidos na angiotomografia e na angiorressonância magnética.

A Angiotomografia computadorizada (Angio-TC) é uma alternativa ao método tradicional e pode ser feito sem a necessidade de cateterismo arterial. Este exame combina um exame de TC regular com meio de contraste iodado injetado em uma veia. Uma vez que o meio de contraste tintura é injetada em uma veia, ele viaja às artérias cerebrais, e as imagens são criadas usando um exame de TC. Essas imagens mostram exatamente como o sangue flui nas artérias cerebrais, porém pode deixar de detectar aneurismas pequenos.

Tratamento de Aneurismas Cerebrais

A embolização, ou cirurgia endovascular minimamente invasiva pode ser usada no tratamento do aneurisma cerebral.

É importante observar, contudo, que nem todos os aneurismas devem ser tratados no momento do diagnóstico e nem são indicados para ambas as formas do tratamento (cirurgia ou embolização). Os pacientes têm de consultar um neuroradiologiasta ou um neurocirurgião para determinar se eles são candidatos para qualquer tratamento.

Tratamento Cirúrgico

Para alcançarem o aneurisma, os cirurgiões devem retirar primeiro uma seção da calota craniana, um procedimento chamado craniotomia. O cirurgião então rechaça o tecido cerebral e coloca um clipe metálico muito pequeno através do colo ( o pescoço ) do aneurisma, para parar o fluxo de sangue no seu interior. Depois de clipar o aneurisma, o osso é recolocado no seu lugar original com fios de metal, e a ferida é fechada.

Tratamento Minimamente invasivo: a Embolização


A embolização é um procedimento que acessa a área de tratamento naturalmente, por dentro dos vasos sanguíneos. Em contraste com a cirurgia, a embolização não necessita de cirurgia aberta. Em vez disso, os médicos usam a tecnologia de raios-X em tempo real, chamada visualização fluoroscópica (radioscopia), para visualizar o interior dos vasos sanguíneos.

O tratamento de embolização dos aneurismas cerebrais começa com a inserção de um cateter (pequeno tubo plástico) na artéria femoral na perna do paciente e navegação dele pelos vasos sanguíneos do pescoço até o aneurisma. Pequeninas molas ou espiras de platina são inseridas pelo cateter e desdobrados no aneurisma, bloqueando fluxo de sangue para o interior do aneurisma e prevenindo sua ruptura. As molas são feitas de platina para que eles possam ser
visíveis pelo raio x e bastante flexíveis para conformar-se com a forma de aneurisma e evitar que ele se rompa.. Mais de 450.000 pacientes no mundo inteiro já foram tratados com molas de platina destacáveis.

Embolização x Cirurgia Convencional

Tratamento de Aneurismas que romperam:

Até há pouco tempo atrás, a maioria dos estudos científicos sobre cirurgia convencional ou tratamento endovascular dos aneurismas cerebrais eram estudos em escala modesta ou estudos retrospetivos que confiaram no análise de registros hospitalares. O único grande estudo médico, comparando a embolização com cirurgia convencional no tratamento de aneurismas cerebrais é o Subarachnoid Internacional Aneurysm Trial (ISAT) que foi publicado na renomada revista Lancet e envolveu mais de 2000 pacientes.

O estudo ISAT encontrou que, em pacientes aos quais foram oferecidos ambas as opções de tratamento, a embolização produz resultados substancialmente melhores do que a cirurgia quanto a sobrevivência sem seqüelas em um ano. O risco relativo de morte ou seqüelas significativas em um ano de pacientes embolizados foi 22.6 por cento mais de baixo do que em pacientes tratados cirurgicamente.

Os resultados de estudo foram tão contundentes que a prova foi parada precocemente, antes do seu término previsto, depois de ingressar 2.143 de 2.500 pacientes planejados porque o comitê de ética do estudo determinou não ser mais ético submeter pacientes à cirurgia convencional.

Este estudo fornece evidência inegável que todos os pacientes com aneurismas cerebrais que romperam devam receber uma consulta endovascular com um neuroradiologista.

Tratamento de Aneurismas não rotos:

Embora nenhum grande estudo como o ISAT, comparando as duas modalidades técnicas foi conduzido para os aneurismas que nunca romperam (aneurismas incidentais), as análises de estudos retrospectivos encontraram que a embolização se associa com menos risco de maus resultados, estadias de hospital mais curtas e tempos de recuperação mais curtos comparados com a cirurgia convencional. Os estudos mostraram que:
• As estadias de hospital médias são mais do que duas vezes maiores com a cirurgia do que com o tratamento de embolização
• Pacientes cirúrgicos informam novos sintomas ou incapacidades depois do tratamento quatro vezes mais do que quando comparando com pacientes embolizados
• Pode haver uma diferença dramática em tempos de recuperação. Um estudo mostrou que os pacientes tratados cirurgicamente tiveram um tempo de recuperação médio de um ano em comparação com pacientes embolizados que se recuperaram em 27 dias

OS BENEFÍCIOS

A técnica de embolização de aneurismas cerebrais possibilita:
• Recuperação mais rápida e sem dor;
• Redução quase-total da taxa de infecção hospitalar;
• Ausência de trauma, visto que não há abertura do crânio;
• Alta hospitalar precoce.

De acordo com o neurocirurgião Antonio de Barros Carrera, de 100 pessoas que têm um rompimento de aneurisma 50 entra em óbito na hora, das outras 50, 30 não resistem até a cirurgia ou entram em óbito durante ou depois, das 20 que sobram, 10 ficam com sequelas e 10 ficam sem sequelas.

Nessas horas em que nós mesmos ou parentes e amigos próximos passam por isso, nada melhor do que nos apegarmos ao nosso bom pai, procurar pessoas que já passaram por isso para que possamos ter mais esperança tbm. Um bom exemplo disso, é a comunidade no Orkut "Aneurisma Cerebral", nela você pode encontrar muitos exemplos de pessoas que venceram por isso, outras que infelizmente perderam alguém querido ou pessoas que entram para tirar dúvidas e esclarecimentos... o link é: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=2603099



Alguns famosos tiveram aneurisma também, como a Roseana Sarney, que descobriu a tempo e pôde fazer a cirurgia numa boa, diferente do ator Luiz Carlos Tourinho que infelizmente não resistiu ao rompimento do aneurisma.

No meu caso, o aneurisma rompido causou hidrocefalia, tive que colocar uma DVE e por essa DVE que é um treno externo, peguei menigite, mas graças a Deus hoje estou perfeita, sem nenhuma sequela.



13 comentários:

Eliane disse...

Em maio de 2010, minha irmã de 39 anos teve um aneurisma e internada aguardando a cirurgia teve um ressangramento, o que a deixou 03 meses internada. 02 de UTI e um de semi intensiva. Nesse período teve que retirar a calota craniana, pegou meningite por causa do dreno(igual o seu caso) e se não bastasse pegou uma bacteria no periodo da meningite que formava bolsas de pus e que teve que passar por intervenções para a retirada desse pus, para ajudar na atuação do antibiotico. Hoje fico feliz em ver que vc falou que está bem, pois o que eu gostaria de saber é como foram as recuperações pós cirurgia.
Hoje a minha irmã anda, porém temos que ampará-la, pois ela está com dificuldade para se equilibrar e também a memória recente ela apresenta problemas, pois o que vc fala com ela passado algumas horas ela não se lembra mais.
Estamos esperando a cirurgia para a colocação da protese da calota, que ainda ela está sem, mas acreditamos que apos a cirurgia, uma nova etapa virá pela frente.
Felicidades para você

nilma de cassia braga disse...

Meu irmão teve o aneurisma cerebral isquemico,no dia 01/01/2011.Está internado no hospital santa marcelina,fez a cirurgia no dia 17/01 ,os médicos já estavam com os aparelhos para entubá-lo,mais DEUS é tão maravilhoso que após a cirurgia que durou 10 hs,ele acordou perguntou ao médicos como ele estava ,o médico disse que ele estava bem e que foi um sucesso,então ele agradeceu a DEUS.Depois da cirurgia ele teve pneumonia ,infecção urinária e se não bastasse infecção hospital.Mais DEUS é tão maravilhoso que nos deu uma nova chance ele tera alta dia 07/02 e não tem nenhuma sequela.Temos que confiar sempre,pois DEUS está sempre do nosso lado,mesmo quando achamos que estamos sós.Meu irmão tem 47 anos,e é como se ele tivesse nascido de novo.

valmira disse...

ola tive um aneurisma a 5 anos .fiz a embolização porem agora voltei a sentir fortes dores de cabeça.meu neuro pediu pra eu fazer outra angiografia sers que pode ser outro aneurisma?

Anônimo disse...

ola, tenho uma tia que acabou de passar por uma embolização, pois ela teve 4 aneurismas rotos,no dia do acidente ela sentiu uma pressão fortíssima na cabeça e após entrar no carro veio a desmaiar, ficou 48 hs na upa e depois foi transferida para hp em petropolis, após mas 24 hs fez a embolização, hoje faz 4 dias da embolização sua imunidade baixou, e ela teve trombose, posso ter esperanças com este tipo de caso grata desde já por sua resposta

Cleide Sampaio disse...

tenho 4 aneurisma,na cabeça estou esperando p fazer a embolizaçao
sinto mta dor d cabeça mto forte
mais estou em casa ,,tenho medo d rooper a qualquer hora...
eu m chamo cleide tenho 47 anos
e estou com mto medo

Marko disse...

Minha mae nun exame de rotina foi detectado um pequeno aneurisma,e o medico disse que seria melhor fazer a cirurgia pois ainda era pequeno,tudo preprado,pressao normal,aritmia cardiaca normal,começou a cirurugia,durou umas 6 horas,minha mae saiu de la entubada,e praticamente morta,ficou 5 dias dias na uti e faleceu,fazem 2 meses hoje,disseram que a pressao subiu na hora da cirurgia,e teve um derrame do outro lado que nao estava operando,e depois na tomografia de cranio apareceu outra mancha de sangue grande do outro lado,que os medicos nao souberam explicar o que aconteceu,erro medico?ou fatalidade?agora perdir minha mâe e nada pode nos consolar.posso dizer que pensem bem em que medico confiar,pois hoje nao sabemos quem podera ajudar ou apenas ganhar dinheiro em cima de cirurgias e medicamentos.

Vanuza disse...

Agora dia 25/05/2013 minha mãe fez a cirurgia de 02 aneurisma roto,ela saiu da sala de cirurgia consciente,esta na UTI, e esta um pouco sonolenta pois os medicamentos são fortes, ela esta falando com um pouco de dificuldade e o lado esquerdo esta sem movimentos, ela já esta fazendo fisioterapia, e os médicos falaram que esta sendo melhor do que eles imaginavam,pois minha guerreira melhora a cada dia, ainda não temos previsão de alta... mas estamos rezando q ela saia de lá ótima e logo.... pois sinto muita falta dela, e sempre que possivel vou ve-la .... a eu me emociono pois me reconhece e pergunta de todos os amigos e familiares .... Minha mãe é guerreira foi operada por Deus através das mãos dos médicos...

Anônimo disse...

perdi minha mae dia 24 de abril de 2013 por causa de um aneurisma celebral,ela vinha sentindo fortes dores de cabeça a um mês e sua pressão arterial so andava alta fez a tomografia so que o resultado demorou 3 dias pra sair no dia de buscar o resultado ela faleceu ele desmaiou no banheiro ainda consciente coloquei na cama,ai ela disse minha perna esta doendo e minha cabeça também então dai fechou os olhos e continuou respirando normalmente dai ela ficou pálida começou a tremer levamos ao medico mais não deu tempo

Anônimo disse...

Meu irmão teve um aneurisma no dia 5/12 uma semana depois fez a cirugia na quinta feira passada ele saiu da UTI, o lado direito dele move normalmente mas o esquerdo ele só mexe os dedos da mão, e fala somente algumas palavras. O médico disse que a recuperação é lenta que tem que ter paciência..só deus para nos dar força

Marlin Sena disse...

Minha mãe operou um aneurisma cerebral roto dia 19\12\2013, teve compressão craniana e hemorragia, operou novamente dia 22\12\2013. O osso está debaixo da pele da barriga para depois colocar novamente. Ela já mexe o braço e perna esquerdos e abre o olho que não foi afetado pelo aneurisma (direito), responde a alguns estímulos e mexe a cabeça. Creio que ela reconhece a nossa voz.
Ontem dia 02\01\2013 ela teve convulsão e hoje fez alguns exames pois ela está com infecção. Ela já teve pneumonia.
Estamos muito angustiados, mas crendo no Deus de Milagres.
Uns confiam em carros, outros em cavalos, mas nós fazemos menção do nome do Senhor, nosso Deus. Uns encurvam-se e caem, mas nós nos levantamos e estamos de pé. Salmos 20 - 7 e 8.

Joice Fonseca disse...

Minha mãe fez uma cirurgia de aneurisma roto no dia 17 de janeiro, passou 9 dias na uti e hoje foi transferida para enfermaria, porém ela continua sonolenta e com dor de cabeça o máximo que ela fica acordada é 3min, gostaria de saber se isso é normal.

fernana disse...

Fernanda Bogni
minha prima de 19 anos teve um aneurisma que se rompeu e teve um sangramento muito forte operada no dia 17/02/14 a cirurgia durou 10 horas, hoje dia 19/02 ela esta na UTI em coma, creio em Deus no seu poder de cura e tenho certeza que ela vai sair dessa e já agradeço a Deus por ela estar viva. Peço que todos rezem para ela.

Silvia Mendonça disse...

Aneurisma Cerebral (Embolização)


Em maio de 2013, quando terminei de fazer uma caminhada, sentei para descansar para o banho então percebi que estava escutando no ouvido esquerdo uma pulsação. Era como se o meu coração estivesse pulsando no ouvido.
Procurei de imediato um neurologista, o qual me mandou para um otorrino, no entanto os exames nada acusaram. Mesmo não sentindo mais as pulsações, resolvi investigar, porque pra mim tinha algo errado na minha cabeça, queria saber o porquê havia sentindo aquilo.
Resolvi no mês de dezembro de 2013 procurar outro neurologista onde falou que provavelmente eu era uma pessoa muito sensível, por isso escutava o coração pulsar, mesmo assim insisti que pedisse um exame mais detalhado pra ver o que realmente tinha, assim ele o fez , passou os exames mas o plano de saúde não autorizou.
Procurei outro neurologista no mês de abril de 2014, a Drª Luísa Adelaide, (um anjo ) uma pessoa fora de série, atenciosa, prestativa e sem sombra de duvida uma profissional nota 1000, contei-lhe tudo o que havia acontecido. A mesma pediu uma angio-ressonancia magnética dos vasos intracranianos arteriais. Através desse exame detectou a presença de um aneurisma sacular medindo 13,7 x 7,8 mm e com o colo medindo 4,6mm, que estava localizado na parede medial da carótida interna esquerda. A Drª me explicou como proceder, falou que o primeiro procedimento seria fazer o exame angiografia cerebral dos 4 vasos. Confesso que fiquei sem chão.
Ela ia me indicar uma pessoa que confiava bastante para realizar esse procedimento por ser uma pessoa muito humana e que pensa em primeiro lugar fazer o melhor para o bem estar do paciente, Dr. Marcos Barbosa Neurorradiologista Intervencionista (Cirurgia Endovascular). Fui até ele e o mesmo realizou o exame através de punção percutânea da artéria femoral comum direita com cateterismo seletivo das carótidas e das vertebrais. Procedimento realizado sem qualquer tipo de dor.
Após a realização do exame o Dr. Marcos se reuniu com a Drª Luísa Adelaide para decidir qual o melhor procedimento se a cirurgia convencional (Abrindo a cabeça), ou a embolização. Decidiram então o que fosse o melhor pra mim, a embolização. E assim foi feita a embolização. A cirurgia aconteceu no dia 09 de maio de 2014 no Hospital Esperança. Já era noite quando ele começou o procedimento e notou que o aneurisma estava maior que mostrava os exames, o risco era maior foi uma surpresa para todos.
Mesmo com esse detalhe a cirurgia foi um sucesso. Não tenho a menor dúvida que o meu DEUS usou esse anjo chamado Dr. Marcos como instrumento para realizar a minha cirurgia. Em momento nenhum me desesperei, pois o Dr. Marcos Barbosa e sua equipe me proporcionaram muita segurança, esclarecimentos e cuidados, foram maravilhosos comigo, dando-me toda a assistência possível.
Agradeço a DEUS porque creio que Ele tomou conta da minha vida colocando esses dois grandes profissionais tão competentes, pacientes e atenciosos pra me ajudar a trazer a minha vida de volta que estava prestes a acabar.
Hoje, 09 de agosto de 2014, após três meses, fiz uma nova angiografia de controle para acompanhar e avaliar o comportamento do aneurisma embolizado. E graças a DEUS está tudo bem, estou curada. Meu DEUS jamais faz sua obra pela metade. Só daqui a um ano é que vou fazer outra angiografia.
Não posso deixar de agradecer a Drª Lígia Galvão minha anestesista, que com certeza foi outro anjo que DEUS escolheu pra me ajudar e também parabenizar o Hospital Esperança pela cortesia, delicadeza, assistência, cuidados e competência dos seus profissionais.
Obrigada por tudo Dr. Marcos Barbosa a sua competência, seu profissionalismo e acima de tudo pelo ser humano que tu és. Além de ser um ser especial, é também o meu anjo da guarda! Adoro esse anjo! Que Deus permaneça lhe abençoando e que muitos possam ter a oportunidade de ser acompanhado pelo senhor. Desejo tudo de bom!
SEVERINA LÚCIA MENDONÇA